Vale a pena fazer um Empréstimo através de Refinanciamento?

Vale a pena fazer um Empréstimo através de Refinanciamento?

Vale a pena fazer empréstimo através de refinanciamento?

As modalidades de empréstimos mais utilizadas pelos brasileiros nos últimos anos ainda são o cartão de crédito, o cheque especial e os empréstimos pessoais. No entanto, cada vez mais, o brasileiro tem buscado por uma outra modalidade: o refinanciamento.

Também chamado de empréstimo com garantia, o refinanciamento é uma modalidade de empréstimo na qual um bem é colocado como garantia de pagamento da dívida contraída.

Devido a essa garantia, as condições de empréstimos são mais atrativas. Exemplos dessa modalidade de empréstimos é o contrato de empréstimos com garantia de veículos e o contrato de empréstimo com garantia de imóvel. Ficou interessado? Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto!

Quais os principais benefícios do refinanciamento?

Basicamente, os principais benefícios de quem busca por esta modalidade de empréstimo são:

  • juros menores;
  • prazos mais alongados;
  • possibilidade de levantar mais dinheiro;
  • algumas modalidades de refinanciamento são poucas burocráticas;
  • flexibilidade para o uso do dinheiro;
  • possibilidade de quitação antecipada com descontos nos juros.

Por que essa modalidade de empréstimo oferece tais benefícios?

Como um bem está sendo colocado como garantia de pagamento, o risco para a instituição financeira que fornece o crédito é muito baixo. Dessa forma, os juros cobrados mensalmente serão muito menores e os prazos para a quitação da dívida podem ser mais longos do que em outros empréstimos.

Além disso, o valor do empréstimo será realizado de acordo com uma porcentagem do bem colocado em garantia. Assim, principalmente para os empréstimos com garantia de imóvel, o valor contratado pode ser elevado, chegando a cerca de 60% do valor da propriedade.

Já com relação à flexibilização do uso do dinheiro, ela ocorre porque não é necessário apresentar uma destinação para o uso do crédito. Isso significa que é possível para o tomador do empréstimo utilizar o recurso para todo tipo de situação. No entanto, atenção: é preciso ter planejamento ao utilizar esse recurso, pois um bem está sendo colocado como garantia de que o empréstimo será totalmente pago.

Com todos esses benefícios, o refinanciamento é uma boa alternativa para quem deseja:

  • livrar-se de dívidas cujos juros são maiores;
  • abrir um negócio próprio;
  • realizar um desejo pessoal, como casamento, viajem para o exterior, reforma na casa etc.

Qual o maior risco do financiamento?

A maior proteção que a instituição financeira tem nos casos de inadimplência é de fato a garantia colocada no empréstimo, portanto, o maior risco é quando o cliente deixa de pagar as prestações. Nesses casos, o bem é tomado e levado a leilão para cobrir as prestações atrasadas e as despesas com inadimplência.

No entanto, isso não é motivo de preocupação, pois não é vantajoso nem para cliente e nem para a instituição financeira chegar a esse ponto. A instituição financeira não está interessada colocar o bem em leilão, pois, para isso, haveria uma série de custos. Vale ressaltar também que o dinheiro que seria recebido no leilão seria usado apenas para saldar o montante emprestado.

Para que a situação não chegue a esse ponto, é necessário tomar os seguintes cuidados:

  • ter certeza de que poderá arcar com o pagamento do empréstimo;
  • evitar tomar novas dívidas;
  • pagar sempre as parcelas em dia.

Outro ponto que a pessoa física ou jurídica que deseja contratar um refinanciamento deve ter em mente é a burocracia envolvida nesse processo. Isso porque há a necessidade de se averiguar as condições físicas e jurídicas do bem. O prazo para liberalização do crédito vai depender da opção de refinanciamento com garantias, como veremos na seção seguinte deste artigo.

Então, vale ressaltar que ao optar por um refinanciamento é muito importante ter um planejamento financeiro muito bem traçado, além de estar em dia com o bem que será colocado em garantia. Recomenda-se, por exemplo, que um terço da renda familiar seja direcionado para o pagamento do empréstimo

Quais as principais modalidades de refinanciamento?

Apesar de existirem diversos formatos de empréstimo com garantia, tais como empréstimo com garantia de investimento, garantia de máquinas e equipamentos industriais etc., as principais modalidades são o Empréstimo com Garantia de Imóvel e Empréstimo com Garantia de Veículo. Veja abaixo as características de cada uma.

Refinanciamento de veículos

São empréstimos em que se coloca um veículo como garantia de que a dívida contraída será paga. Suas principais características são:

  • taxas de juros que partem de 2,60% ao mês;
  • prazos que podem chegar até 48 meses;
  • o veículo deverá estar quitado e em nome de quem for fazer o empréstimo;
  • burocracia é muito baixa e liberação do dinheiro ocorre entre 2 e 5 dias úteis;
  • o veículo não é transferido de nome, somente é alienado ao banco;
  • recomendado para quem busca valores a partir de R$ 5.000,00;
  • é possível refinanciar até 80% do valor do veículo;
  • automóveis com até 15 anos de uso.

Refinanciamento de imóveis

Refinanciamento de imóveis, ou empréstimos com garantia de imóveis, é um empréstimo em que a pessoa que o contrata coloca em garantia um imóvel que está em seu nome (ou no nome de alguém que aprove que seu bem seja colocado como garantia). As principais características desse empréstimo são:

  • taxas a partir de 1,50% ao mês + Indexador;
  • prazos podem chegar a 180 meses;
  • o imóvel deverá estar quitado, livre de qualquer ônus e ações;
  • o imóvel deverá estar regularizado e com averbação da construção na matrícula;
  • burocracia é maior do que outras modalidades de empréstimo, com liberação do recurso entre 15 e 60 dias;
  • recomendável para quem busca valores acima de R$ 30 mil;
  • é possível refinanciar até 60% do valor do imóvel.

Para contratar esse tipo de empréstimo é necessário seguir por 5 passos. São eles:

  1. Preenchimento de cadastro em instituições financeiras.
  2. Avaliação da pessoa física ou jurídica (para averiguar as condições financeiras do tomador de empréstimo).
  3. Avaliação do imóvel.
  4. Assinaturas dos documentos referente ao empréstimo e registro dos mesmos em cartório.
  5. Liberação do crédito.

Vale destacar algumas características do contrato de empréstimo com garantia de imóvel. Ao se alienar um imóvel como garantia, parte dele será colocado no nome da instituição financeira, porém, quem contratou o empréstimo continua exercendo posse direta sobre o seu bem, podendo residir no imóvel ou até mesmo alugá-lo.

Com relação a venda haverá algumas restrições, pois é necessário quitar toda a dívida antes da venda ou ao menos transferir a mesma para o novo comprador. Ao final do empréstimo, após toda a dívida ser quitada, o imóvel volta a estar integralmente no nome de seu proprietário.

Haverá também uma taxa cobrada para a avaliação do imóvel. No entanto, mesmo com essa taxa, o empréstimo com garantia de imóvel continua sendo vantajoso devido às baixas taxas juros, ao longo prazo para pagamento e à possibilidade de adquirir um alto valor de crédito.

Qual o maior atrativo?

Inegavelmente, quem está apto a colocar algum bem em garantia também quer ter condições diferenciadas de crédito, e uma dessas condições é a taxa de juros. Ao comparar diversas modalidades de empréstimo, é visível as vantagens do refinanciamento sobre as outras modalidades.

Vamos tomar como exemplo um empréstimo de R$ 30 mil para 48 meses. Veja as diferentes modalidades:

  • Cartão de Crédito¹ — CET² médio de 16%: Valor final R$ 230.585,72.
  • Empréstimo Pessoal¹ — CET² médio de 12%: Valor final R$ 173.553,30.
  • Empréstimo com Garantia de Veículos¹ — CET² médio de 3,60%: Valor final R$ 63.460,84.
  • Empréstimo com Garantia de Imóveis¹ — CET² médio de 2,0%: Valor final R$ 46.946,64.

¹ Os valores acima são meras comparações com os mesmos valores e prazos com fins educativos

² CET — Custo Efetivo Total do empréstimo

É possível também utilizar a calculadora do cidadão, do Banco Central, para calcular diferentes cenários de contratação de empréstimos.

Vale a pena fazer um empréstimo por meio do refinanciamento?

Como vimos acima, existem inúmeras vantagens em colocar seu automóvel ou imóvel em garantia. Então, de forma geral, sim, vale a pena fazer um empréstimo colocando um bem em garantia. As condições neste modelo de empréstimo são muito mais atrativas do que empréstimos convencionais sem garantias.

Para quem busca recursos com o intuito de, por exemplo, investir em seu negócio, reduzir os juros de empréstimos ou até mesmo sair de algum sufoco, a opção de financiar um bem é muito interessante. Isso porque, como já citamos, os juros do refinanciamento são baixos. Especialmente os juros envolvidos em empréstimo com garantia de imóvel, que são os mais baixos do mercado de financiamento.

O contrato de empréstimo com garantia de imóvel, além das baixas taxas de juros, oferece a oportunidade de se contratar uma grande soma de dinheiro, podendo chegar a 60% do valor do bem, e o pagamento desse empréstimo pode ser feito em parcelas que podem chegar a 180 meses.

Agora para quem busca valores menores, como, por exemplo, valores abaixo de R$ 5 mil, o refinanciamento com garantia talvez não sejam a modalidade de empréstimo mais adequada. Isso porque os custos da operação encarecem para valores pequenos, dessa forma, o Custo Efetivo Total pode ser tão alto quanto um empréstimo sem garantias reais.

Também não é vantagem para quem busca vender ou negociar seu imóvel ou automóvel em um curto espaço de tempo, pois o bem fica alienado à instituição financeira, restringindo qualquer negociação.

Por que não é necessário ter medo do refinanciamento?

No Brasil, a modalidade de refinanciamento com bem em garantias, especialmente o contrato de empréstimos com garantia de imóveis em garantia é visto com certo receio. No entanto, esperamos que, ao destrinchar suas características, o leitor possa entender que, com planejamento e estudo, essa modalidade de empréstimo tem mais vantagens do que desvantagens a oferecer.

Lembre-se apenas de que esse empréstimo é mais adequado para quem possui um bem quitado, seja veículo ou imóvel, e que antes de tomar o empréstimo é necessário ter um bom planejamento financeiro. Tendo observado essas importantes condições, o refinanciamento certamente será uma das opções de empréstimo mais atrativas no mercado.

De qualquer forma, é muito importante analisar e estudar muito antes de tomar qualquer tipo de empréstimo. É importante conhecer a fundo os riscos e vantagens de qualquer tipo de empréstimo.

Quer saber mais sobre refinanciamentos com garantia? Entre em contato com os especialistas da Quero Financiar!

1 comentário

  • Valdir de souza

    Financiei um veiculo e quero refinaciar tem como fazer com vcs.trabalho com a uber. Da pra mim pagar mas ficou muito alta as presrações. Preciso de ajuda.

Deixe um comentário

Leia também:

  • Entenda como funciona a avaliação de carros usados no financiamento

    Você sabe como funciona a avaliação de carros usados em financiamentos? Muitas pessoas desejam trocar de automóvel, mas não têm o dinheiro para realizar a compra à vista, por isso investem em um financiamento e conseguem realizar a compra de um  carro novo ou usado. Algumas aproveitam o veículo que está na garagem e dão como entrada, diminuindo assim,

    28 de fevereiro de 2023
  • Faça o refinanciamento de veículos 100% online

    Na hora que as contas apertam, é comum que as pessoas busquem o empréstimo como solução para ajudar nas contas da casa. E uma das soluções em crédito para quem está precisando de dinheiro, é o refinanciamento de veículos. O refinanciamento de veículos é uma das maneiras mais seguras de utilizar o seu bem já

    15 de abril de 2023
  • Dicas de ouro para fugir das fraudes dos empréstimos online

    https://www.youtube.com/watch?v=2R-Hb_Tkb_Q Indispensável para muitas pessoas, a internet vem facilitando a vida de muitos. No entanto, ao mesmo tempo que possui diversas vantagens, pode tornar muitas pessoas vulneráveis. Dessa maneira, no mercado financeiro, por exemplo, é fundamental ficar atento para não cair nas fraudes dos empréstimos online. Realmente, com a facilidade da internet, os processos para

    31 de janeiro de 2023